Trabalho: O que vestir?

As empresas, sejam elas pertencentes a qual segmento que for, possuem códigos de vestimenta para seus funcionários, mesmo que não seja explicito. Companhias de todo mundo adaptam cada vez mais o seu dress code com o seu estilo de negócio ou seus valores e missões – afinal, a aparência de seus funcionários tende a transparecer a cultura da empresa. Ou seja, empresas ligadas à tecnologia e à criatividade, como por exemplo startups, podem aceitar que seus funcionários se vistam livremente, com jeans, camiseta e tênis. Já os escritórios de advocacia e bancos tendem a ter um dress code formal.

Primeiro passo

Antes de entender como se adequar a cada dress code, é necessário procurar sobre qual é o estilo da sua empresa. Caso seja um novo emprego, a opção mais segura é sondar o assunto com a equipe de Recursos Humanos, afirma a headhunter e coach de carreira Carolina Ridolfi. Também é válido conversar com seu futuro chefe ou até mesmo com um colega. Assim no seu primeiro dia provavelmente não haverá desconfortos relacionados à vestimenta.

Observar

Outra dica é prestar atenção em como os demais funcionários tendem a se vestir. Ou seja, veja por exemplo se é raro se deparar com alguém com um vestido florido ou se é notável que as pessoas utilizam apenas cores sóbrias, como bege e preto. Isso pode ser um indicativo de qual tipo de vestimenta a empresa presa.

Preze pelo conforto

Mesmo que a companhia adote um dress code formal, estar confortável é importante tanto para a aparência, quanto para o trabalho render. Afinal, ninguém merece passar o dia inteiro com uma camisa apertada, por exemplo. Mas isso também não significa que, se o dress code é informal, pode optar-se por um moletom surrado. Sua aparência deve demonstrar o profissional que você é.

Atenção

Seja qual for o código de vestimenta, lembre-se que se está indo trabalhar e não para um encontro entre amigos. Blusas que não mostrem a barriga e com mangas que não dificultem a liberdade de movimentos devem ser as escolhidas. Atenção ao cumprimento da saia e aos decotes.

Nos primeiros dias de trabalho pode até ser perdoado um deslize aqui e acolá, mas para evitar maiores desconfortos com os colegas ou superiores, tente seguir o dress code conforme a empresa determina. Para te ajudar na escolha das vestimentas, preparei um pequeno guia de acordo com os códigos de vestimenta mais utilizados hoje em dia.

Dress code: Formal

O mais clássico e talvez o mais fácil de seguir. O dress code formal estabelece exatamente o que se espera do profissional na hora de se vestir. Ter uma parte do guarda-roupa específico para o trabalho é uma dica valiosa para não errar.

O que não usar: em ambientes formais evite utilizar estampas coloridas ou chamativas. Caso queira utilizá-las, foque nos acessórios, como nos lenços. Estar atento ao tamanho das roupas é imprescindível, afinal camisas apertadas podem transparecer partes do corpo indesejáveis. No caso dos sapatos, para as mulheres, evite os com salto muito fino, pois podem passar um ar de festa.

Dicas de look: não tem muito erro. Opte por tailleurs, terninhos, vestidos com corte reto e na altura do joelho, camisas brancas e cores sóbrias de blazers.

Dress code: Novo Formal

A maioria das empresas tem adotado cada vez mais uma vestimenta mais acessível. Entretanto, não se deve confundir essa liberdade com “pode tudo”.

O que não usar: jeans e de cores exuberantes devem ficar de fora da escolha – afinal, a companhia não deixou de ser formal. Além disso, não ir de tênis esportivos, camisetas, blusas decotadas ou vestidos e saias curtos são também dicas importantes para manter a lógica do dress code. Fuja também do sapatênis e rasteirinhas – eles não fazem parte deste código.

Dicas de look: cores suaves, estampas discretas e roupas com modelagens atuais não tem erro, vale até um terninho com calça pantacourt. A qualidade do tecido também merece atenção uma vez que passam imagem de refinamento.

Dress code: Casual ou Informal

Algumas áreas de marketing e comunição, por exemplo, já optam pelo dress code informal. Nesse caso, seria como um casual week. Não confundir informalidade com desleixo é importante – afinal, o dress code é informal, mas você continua sendo um profissional.

O que não usar: evite utilizar roupas rasgadas, amassadas ou decotadas. Deixe em casa também as roupas que costuma utilizar nos finais de semana, muitas delas têm estampas, por exemplo, o que pode não ser conveniente em um ambiente corporativo.

Dicas de look: Nos dias de calor, opte por bermudas e saias perto da altura do joelho e vestidos sem muito decote. Se for utilizar uma peça mais estilizada, contrabalanceie com outra peça em cores sóbrias. Invista em peças básicas e brinque com as combinações possíveis que possam surgir dela – uma calça jeans boyfriend com uma camisa branca, por exemplo.

Sem dress code

O crescimento de startups, empresas de inovação e de criatividade é uma das razões para que houvesse um boom no quesito informalidade. Tais empresas costumam ser despojadas e normalmente não possuem um dress code fixo. Assim, o profissional é livre para escolher o que quiser para vestir. Contudo, como já mencionado, não significa que vale tudo. Mesmo nesses ambientes, estamos nos expressando também pela forma como nos vestimos.

O que não usar: roupas transparentes ou justas demais e, no caso das saias, perceber se não sobem enquanto você anda. Evitar também combinações que se assemelham a uma saída noturna também é importante – uma saia de paetê ou decotes exagerados não combinam com um ambiente de trabalho, seja ele qual for.

Dicas de look: Caso for usar uma estampa, utilize apenas em uma peça – ou na blusa, ou na calça – misturando-a com uma peça de cor sóbria. Optar também por calças jeans não muito rasgadas e que não exageram nos detalhes, como brilhos, também é uma boa pedida. Usar tais combinações com um sapato cômodo, mas de design interessante. Assim, você imprime sua identidade no visual sem deixar de ser profissional.

E se tiver mais alguma dúvida, conte comigo! A consultoria de estilo é uma ferramenta que te auxilia a adequar também sua forma de se apresentar profissionalmente.

 

Alanka Nasser, todos os direitos reservados.